DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS

Todos os pacientes que vêm ao meu consultório de psicoterapia vêm porque têm alguma doença psicossomática. Eles não entendem que aquilo que têm é uma manifestação  de algo que vem das emoções escondidas lá no fundo do seu ser e que acaba por se manifestar através do corpo físico.

O corpo é incorruptível nas suas emoções genuínas.

Muitas vezes, na nossa educação, não podemos manifestar as nossas verdadeiras emoções de raiva, tristeza ou medo. Ao esconde-las, acabamos por provocar doenças no nosso corpo.

Assim, todos nós estamos sujeitos a termos algum tipo de doença física , crónica ou não, quando guardamos emoções negativas no nosso corpo por muito tempo.

DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS

O corpo está sempre a falar.

Quando sentimos RAIVA, esbugalhados os olhos, cerramos os punhos, travamos os dentes, encolhemos o corpo como quem vai dar um soco no outro. Imagine-se a fazer isso, sem perceber, todas as vezes que sente raiva. Vai acabar com dores de pescoço, ou com dores de coluna, ou acaba por gerar um travamento na mandíbula, ou dor de cabeça por tanto travar o maxilar, ou artrite por cerrar os dedos, entre tantas outras possibilidades.

Quando temos MEDO, vamos arregalar os olhos, olhar para os lados, menos para a frente, acelerar o coração, gelar o corpo, mandamos o sangue para o coração e para as vísceras, encolhemos o corpo para proteger o coração e os pulmões do inimigo. Trememos, urinamos, para defender o nosso território e muito mais. O que o medo trás ? Taquicardia, sudorose, branco na mente, metabolismo desconcertado, olhar desfocado do futuro.

Quando temos TRISTEZA ficamos encolhidos, fechamos o peito, olhamos para baixo, baixamos a guarda, tornamos lentos os batimentos cardíacos. Adoecemos de tristeza, o fígado fica congestionado, dores musculares de contrair o corpo, enfim.

Mas o amor cura tudo!

Mas como ter amor sempre?

Pouco provável.

O melhor é aprender que podemos, sim, ter tais sentimentos, que são humanos. Sentir tristeza, raiva, medo é normal e podemos senti-los. Só que não podemos ficar presos a eles pelo resto da vida. Isso gera dor fisica real. Precisamos encarar as nossas dificuldades e resolve-las. Correr ao psiquiatra para lhe dar um remédio e eliminar a dor não vai resolver absolutamente nada. Sim, vai ajudar no processo, mas não é a cura. A cura é enfrentar o problema. E eu como psicoterapeuta e Coach oriento nesse processo até que se fortaleça e se torne autónomo.

Com ferramentas como EMDR, Reimprinting Freedom Technique , Limpeza da aura, Programação Neuro-linguística, Hipnose clínica e regressiva, Terapia Vidas Passadas, Life Coaching, Numerologia karmica, Astrologia karmica  vamos ajudar ao entendimento dos vários acontecimentos de vida, ressignificação, perdão, reprogramação de crenças limitantes e muito mais que é absolutamente necessário a uma verdadeira e profunda recuperação.

Marta Tavares

Vote neste artigo

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*